7 de mar de 2009

Netbooks: tudo o que você precisa saber sobre esses PCs portáteis

Pequenos, baratos e poderosos, os netbooks são os novos ultraportáteis. O que levar em conta antes de comprar o seu.

O termo netbook, lançado pela Intel, passa pouca informação sobre essa categoria de computadores. Claro, todos possuem rede wireless, mas isso outros notebooks comuns também oferecem. Originalmente, a designação 'netbook' ajudou a identificar uma classe de pequenos, super leves e baratos PCs portáteis.

Os netbooks são compactos – entre metade ou dois terços do tamanho de um notebook comum – e normalmente pesam cerca de 1 quilo. Com seu design arrojado, os netbooks desbancaram os ultraportáteis mais chiques. E na melhor das hipóteses, esses pequenos laptops começam a ser vendidos a partir de 900 reais (em alguns casos chegam a 800 reais, como o Mobo da Positivo).

Mas enquanto as próximas gerações de netbooks estão surgindo, as características que distinguem essa categoria ainda estão em debate.

O preço ainda é um critério decisivo? E com relação ao tamanho do dispositivo, o sistema operacional que ele roda ou o processador por trás da máquina?

Ultimamente todas essas opções são fatores dentro da categoria, mas conforme novos sistemas e ferramentas surgem, a definição de netbook continua evoluindo.

Então surge um dos problemas: com tantos netbooks lançados no mercado nos últimos tempos – e com os que ainda estão por vir – selecionar o modelo certo pode ser uma tarefa difícil. Não existe perfeição em uma categoria como esta, mas com algum conhecimento sobre as características básicas de um netbook, você poderá decidir sua compra.

Potência do processador

Preços atraentes, dimensões reduzidas e sistemas operacionais prontos para o uso fazem os modelos atuais de netbooks parecerem ótimos no papel. Mas o processador Intel Atom que roda nessas máquinas não faz nada melhor do que editar documentos, enviar e-mails e navegar na web.

A configuração padrão que você encontrará nas prateleiras das lojas inclui um processador de 1,6 GHz com 1GB de RAM, utilizando um chipset Intel 945 e rodando Windows XP. Não é exatamente uma super máquina, mas funciona bem.

Tirar o melhor proveito do seu netbook tem tudo a ver com expectativas. Não espere rodar games para PC, editar grandes imagens ou criar vídeos de 1080p linhas nestas máquinas – pelo menos não agora.

Ainda este ano a nVidia deve lançar sua plataforma de placas gráficas Ion, e a AMD deve vir com o processador Neo. Esses dois chips móveis prometem acelerar o desempenho dos netbooks significativamente, e podem de alguma forma mudar nossa visão de computadores pequenos.

Telas em crescimento

Quando o primeiro Asus Eee PC com tela de 7 polegadas foi apresentado, muitas pessoas se queixaram das dificuldades de leitura durante uma navegação comum na internet. Felizmente as coisas mudaram.

Hoje, mesmo as menores máquinas já oferecem uma tela de 8 polegadas com pelo menos 800 pixels de resolução. Isto já é o suficiente para navegar na internet, por exemplo. Mas modelos com telas de 10 polegadas são bem mais atraentes nesse sentido.

Em testes, PC WORLD já consegui fazer streaming de programas de TV no site Hulu.com (disponível apenas nos Estados Unidos) em um HP Mini 2140, e as imagens ficaram ótimas. Mas você também precisa considerar alguns fatores visuais quando for comprar um netbook.

A cobertura da tela é uma consideração crítica. A tela brilhante do HP Mini 2140 pode parecer perfeita para ambientes fechados, mas em lugares abertos e com luz natural o brilho emitido pode até atrapalhar a visão.

Outra característica a considerar é a resolução nativa. A configuração padrão na maioria dos netbooks é de 1024 por 600 pixels. Embora esta taxa regular funcione para a maioria dos softwares, alguns programas requerem uma resolução diferente para serem executados corretamente.

Para compatibilizar, a Lenovo, por exemplo, incorporou uma resolução de 1024 por 768 pixels em seu IdeaPad S10. Se você pretende executar aplicativos que demandem uma resolução específica, então verifique antes se o netbook que você irá comprar tem esse suporte.

Autonomia da bateria

Embora o processador Intel Atom não seja um devorador de energia, os netbooks não são conhecidos por oferecer uma longa duração para a bateria. Isto ocorre porque os fabricantes tentam reduzir os custos inserindo uma bateria modesta, de três células.

Se você tiver sorte, uma bateria deste porte irá durar cerca de 2,5 horas com uma única recarga, de acordo com os testes mais recentes da PC WORLD. Portanto se você pretende se manter produtivo com seu netbook durante uma viagem, provavelmente você precisará comprar uma bateria extra para estender a autonomia da sua máquina.

O netbook Acer Aspire One é um exemplo. Pronta para o uso, esta máquina é vendida por cerca de 300 dólares (no Brasil se encontra na média de 1.300 reais); mas se você quer que a bateria dure mais será preciso desembolsar outros 100 dólares por uma opcional de seis células, que efetivamente dobra a duração da bateria atual.

A bateria extra também adiciona um pouco de peso para o sistema: cerca de 140 gramas de diferença entre a bateria de três e de seis células, mas a maior durabilidade entre as recargas compensa o investimento extra.

A Asus é, hoje, a fabricante que tem produzido netbooks com baterias de maior duração da carga. O motivo: a inclusão de uma bateria com oito células. A fabricante também costuma oferecer tanto a bateria padrão como a estendida em seus netbooks, permitindo que os usuários escolham a bateria ideal para suas necessidades.

Em alguns modelos mudar para uma bateria maior pode ser uma vantagem: ela aumentaria o tamanho do netbook, fazendo com que ele fique levemente mais inclinado, permitindo que a digitação seja mais ergonômica e mais fácil.

Teclados limitados

Quando você lê que o teclado de um netbook tem de 88 a 92 por cento do tamanho de um teclado comum, você pode ignorar essa informação. O layout e a disposição dessas teclas são similares ao tamanho das teclas individuais normais.

Para checar se a disposição do teclado de um netbook irá funcionar para você, o ideal é fazer um teste com o produto em uma loja. Claro, teclas maiores são melhores para digitar – e netbooks com tela de 10 polegadas geralmente oferecem teclados maiores.

Os mais confortáveis dessa categoria são o HP Mini 1000 e o Mini 2140. As amplas e achatadas teclas desses netbooks da HP são grandes o suficiente para qualquer um utilizar, pois a HP optou por reduzir o espaço entre as teclas a diminui-las além do necessário. Talvez você se surpreenda com a quantidade de netbooks que oferecem teclados confortáveis.

O Eee PC 1000H da Asus, por exemplo, tem uma configuração espaçosa e de boa digitação. A máquina é cômoda e inclui um bom espaço entre os botões. Mesmo netbooks menores com telas de 8,9 polegadas podem trazer algumas surpresas.

O Dell Inspiron Mini 9 e o Acer Aspire One, por exemplo, possuem ótimos teclados – maiores e melhores de digitar, algo que a pequena aparência destes equipamentos não sugere.

Opções de aplicativos

O Windows XP e algumas distribuições Linux são os principais sistemas operacionais disponíveis na maioria dos netbooks. E por que Linux? Para iniciantes, ele roda um pouco mais rápido que o XP, o que é perfeito para as fracas CPUs dos netbooks.

E também contribuem para diminuir um pouco mais o preço desses portáteis que já são baratos (veja mais informações no tópico ‘A opção Linux’ nesta matéria).

Mas no geral, os netbooks com Windows XP carregam poucos softwares. Algumas máquinas que testamos vieram com o OpenOffice.org –suíte de escritório baseada em Java - pré-instalado. Poucos se igualam ao IdeaPad S10 da Lenovo, que oferece uma útil ferramenta de recuperação chamada CyberLink OneKey Recovery 6.0 que cria configurações de backup, partições e estabelece pontos de restauração.

Praticamente todos os netbooks que testamos requerem que você faça o download do software que queira usar por conta própria.

Felizmente alguns facilitam a vida dos usuários de netbooks. O Google Pack Page, por exemplo, oferece bons (e populares) programas gratuitos para download, inclusive anti-spyware – desde Adobe Reader a RealPlayer e o Google Chrome, claro.

Outros aplicativos que sugerimos e que nenhum netbook deveria ficar sem são aplicativos gratuitos como CCleaner, Fresh UI, Paint.Net, Secunia PSI, Spybot Search & Destroy e Spyware Blaster.

Esperar que o Windows Vista funcione bem usando o fraco processador de um netbook é como esperar que um bebê consiga subir uma ladeira carregando um bloco de concreto.

Apesar disso a HP lançou seu modelo 2133 com o Vista Business Edition – e ninguém se surpreendeu quando seu processador Via C7-M rodou como se fosse um velocista fora de forma que tentava correr em uma pista com areia movediça.

Agora a Sony pensa que seu novo mini-notebook Vaio P, baseado no processador Intel Atom (e que insiste em não chamar de netbook) irá rodar o Windows Vista Basic.

Isto provavelmente é um esforço de desempenho, mas avanços nos futuros processadores de netbooks eventualmente farão até mesmo o Windows 7 uma opção aceitável. Rumores surgem dizendo também que o sistema operacional do Google, o Android, irá surgir nos netbooks ainda este ano. É esperar para ver.

Trabalhar ou jogar

A primeira geração de netbooks visou os consumidores comuns – especialmente estudantes. Afinal, você pode guardá-los em qualquer mochila com discrição. Mas essas máquinas também são ideais para usuários corporativos.

Por que ocupar um grande espaço no escritório com um computador, se tudo que você precisa é de um bom teclado e conexão a internet? Este pensamento levou os fabricantes a dividir os consumidores finais e corporativos em subcategorias.

Os netbooks corporativos possuem mais componentes do que os voltados aos consumidores finais. O Mini 2140 da HP vem com Wi-Fi 802.11n em vez do comum 802.11b/g. Um acelerômetro embutido protege o HD em caso de queda do portátil, e também possui um teclado a prova d’água.

O N10Jc da Asus foi o primeiro mini-notebook a incluir uma placa gráfica distinta (nVidia GeForce 9300M GS) que o usuário pode deixar ativa ou inativa. Claro, configurações assim são caras e netbooks corporativos costumam ter preços superiores a 1.200 reais.

A próxima geração

Os netbooks não serão mais como as primeiras gerações. Até o fim do ano, eles terão emergido como a maior categoria de computadores, com diversas opções que irão aumentar as funções básicas. O Novo Vaio P, de 900 dólares (ainda sem previsão no Brasil), por exemplo, credita a seu processador Intel Atom 1,6GHz rodar o Vista Basic e oferece aos usuários uma tela de 8 polegadas (um pouco menor que um pequeno aparelho de DVD).

A empresa pode reclamar se você chamá-lo de netbook, mas ele com certeza se parece com um. Outra empresa que está exigindo bastante do chip Atom é a MSI, com seu X320 – um portátil de 13 polegadas, com o estilo do MacBook Air, mas pelo preço de mil dólares.

Outro fabricante de chip pretende entrar em definitivo no meio dos ultraportáteis. A nVidia tem feito certo alarde sobre sua plataforma conceito Ion, que consistirá basicamente de uma GPU GeForce 9400M casada com uma CPU Intel Atom em uma pequena placa-mãe.

O Ion tem se saído bem nos testes, mas quem sabe se eles terão forças para competir ou se a Intel irá apoiar a ideia de uma outra empresa de chipsets trabalhar com seu chip Atom, é outra história. Enquanto isso, a AMD mira em outra categoria de laptops: ultraslim e de fácil acesso.

A empresa do processador Athlon Neo está determinada a lançar potentes ultraportáteis que partem dos 700 dólares e que sejam bem velozes. A configuração básica seria trabalhar com uma CPU de 1,6GHz em conjunto com uma placa gráfica integrada ATI Radeon X1250.

Apesar de ser mais rápida do que a configuração da Intel, ela ainda não decolou. Mas a AMD terá sua primeira prova deste conceito lançada em março: o HP Pavilion dv2, uma máquina de 12,1 polegadas que será vendida entre 600 e 800 dólares.

Netbooks sem internet

Se o nome significa tudo é razoável então esperar que um “netbook” ofereça conexão wireless e conectividade constante. Mas não é bem assim. Muitos netbooks oferecem wireless 802.11g, que é mais do que adequada para necessidades básicas. Nos últimos meses vimos também netbooks sendo oferecidos com conexão 3G integrada.

Isso parece ser ótimo, mas um grande empecilho está embutido: um contrato de anos de fidelidade com a operadora e a vontade de querer mudar de dispositivo depois. Uma dica: se você prioriza um bom desempenho da conexão wireless, então verifique se o seu netbook tem a opção de incluir no slot um cartão PC Express.

Desta forma você pode comprar um cartão de conexão banda larga e plugar em qualquer máquina que precisar. Slots para PC Express ainda são raros em netbooks, ao contrário de portas USB.

Então, mesmo que você adote um sistema que não acomode PC Express, pode-se adicionar um adaptador USB 3G, que você também poderá usar com qualquer computador que tiver.

A opção Linux

Devido a seu fraco processador Atom, pouca RAM e (geralmente) pequenos drives SSD, os netbooks normalmente não rodam Vista. E embora possam rodar o XP, eles não fazem com tanta rapidez. O Linux, por outro lado, roda rapidamente pelos padrões dos netbooks.

E seus baixos problemas, dificuldades e gratuidade ajudam a manter o preço dessas máquinas mais baixo. Mas nem todas as distribuições Linux são criadas de forma igual, e nem todos os netbooks com Linux são considerados top. Cada fabricante de netbook desenvolve um Linux diferente em seus produtos, e a maioria inclui uma interface do menu customizada para auxiliar na experiência do usuário.

Da melhor forma, como no netbook Dell Mini 9 com Ubuntu, essas interfaces se destacam para serem discretas e fornecer acesso completo ao sistema operacional do Linux.

Quando elas são mais discretas, elas podem restringir sua mobilidade ao sistema, limitando a produtividade. Para seu primeiro netbook, ao menos que esteja interessado em Linux, seria interessante comprar um com o Windows XP pré-instalado.

A diferença no custo é geralmente mínima, e você sempre pode instalar o Linux depois se quiser. Se você é um fã do Linux, escolha o dispositivo que goste, desconsiderando a distribuição que oferece, e então instale depois a opção Linux que mais agradar.

Fonte: gazetaweb.com

Um abraço e até a próxima!