17 de out de 2014

Dubiedade


Estou quebrado.
Estou no limiar de uma fronteira estranha: a da credibilidade. Crer ou ou não crer nos seres humanos?
Mais e mais pessoas decepcionam-se com outras pessoas. Pessoas vivem com outras usando uma máscara de falsa felicidade, para sustentar vícios decadentes, como a necessidade do poder aquisitivo e status social. Status social perante quem? Se satisfaz em ser melhor que sua amiga em alguns aspectos, mesmo que essa amiga não se sinta inferior. E ainda assim está a milhões de dólares abaixo das grandes cúpulas sociais.

Pessoas de verdade são realmente felizes com outras pessoas. Pessoas com tão pouco, mas com tão muito. Uma refeição simples na rua ou um cachorro latindo já os satisfazem. Almoçar com seu companheiro num boteco de rua os satisfazem. Não estão nem aí para o que a sociedade está se tornando. Estão vivendo como pessoas felizes. Sem máscaras, mas com um sentimento forte de esperança.

E eu ainda estou na fronteira. Me sinto inútil, fútil... me sinto ignorante por julgar o ser humano pelas maiorias idiotas. Meus círculos, meus amigos eu escolho. Esta é a diferença, este é o meu lado da fronteira.

Abs.